Muay thai: mais que uma dor gostosa, um vício!

Não sei vocês, mas quando eu vou num parque de diversões, meus brinquedos preferidos são sempre os que me dão mais medo. Aquele elevador que despenca das alturas, dando um frio na barriga que parece que está arrancando tudo que tem por dentro, ou aquela montanha-russa que, cada vez em que o carrinho se aproxima do topo (e quanto mais alto e íngreme esse topo for, melhor), mais medinho vai dando e a ansiedade vai aumentando mais e mais, até explodir em forma de gritos e mãos para cima.

E por que isso? Porque o frio na barriga é gostoso demais. É praticamente uma dor gostosa. Ok, você deve estar me achando louca por eu achar que dor é gostosa. Mas vai dizer que você nunca saiu de um brinquedo desses e logo correu pra fila de novo, pra ir mais uma vez e uma vez mais, e de novo e de novo? Vai negar que essa sensação é gostosa?! É assim a minha relação com o Muay Thai: uma dor gostosa. Uma diversão viciante. Digo diversão porque não tenho pretensão de lutar de verdade, mas o encaro com seriedade, foco e respeito.

muay thai chute

O carrinho dessa “montanha-russa” começou sua jornada rumo ao topo há um ano e dois meses. Não vou negar que foi difícil no começo. Deu medo. Medo de apanhar, medo de passar vergonha, de me marcar. Sequências, jab, direto, direita e esquerda (que até fora do tatame é um verdadeiro desafio pra mim diferenciá-las…), base, postura, movimento. Aff. Muita informação para um corpo só. Sem mencionar a vergonha. Vergonha de fazer os movimentos errados. Vergonha de me olhar no espelho e ver um reflexo que só me incomodava. Paciência. Paciência de esperar a minha vez, paciência de esperar acertar um movimento direitinho. Paciência de ver mudanças no meu corpo.

emagrece muay thai

10 kg a menos……… Acho que faz uma diferençazinha…

Mas cada vez que eu deixava o tatame, a vontade de correr pra fila só para encarar meus medos e fazer tudo de novo era incontrolável. E continua sendo, mesmo que o caminho dessa montanha-russa seja outro agora. Hoje, não tenho mais vergonha de saber ou não saber os movimentos. Já não estou nem aí se estão ou não olhando pra mim (isso só dentro do tatame. Essa parada psicológica só funciona ali. Ainda tenho muito que trabalhá-la em outras situações). A dificuldade agora é superar meus limites. É saber quantos chutes consigo dar sem perder o ar, quanta potência consigo colocar seja na perna ou num soco, quantos circuitos vou completar sem parar no meio do caminho. Quantas defesas terei que fazer (e cada vez mais rápidas) para não levar um chute na cara dado por uma amiga (que me deixa roxa, mas que a adoro). Quantas vezes terei que sorrir pra dor e insistir, ignorando o cansaço, quando o mestre fala: “Só mais um pouquinho, você consegue!”. E eu sei que consigo. É por isso que não me importa os roxos que ando colecionando, não me importa se estou morrendo no tatame, desejando que aquilo acabe logo… Só para eu tomar um arzinho e uma água. Eu sei que vou voltar correndo pra fila novamente. Aliás, a vontade é de voltar diversas vezes no mesmo dia, todos os dias.

muay thai defesa

Recentemente, uma amiga me disse que ia experimentar e que espera gostar de Muay Thai. Amiga, você não vai gostar. Vai se viciar. Se viciar nesse esporte lindo, na nova família que vai te acolher, nas mudanças que ele vai proporcionar não só para o seu corpo como para sua vida, como: disciplina, coragem, força (não só física), postura e vitórias.

E é assim que continuo essa jornada, ou essa “montanha-russa”. Deixo o tatame todas as vezes para correr pra fila de novo. E de novo.#Oss

Leia também:

Benefícios do Muay Thai

Anúncios

7 pensamentos sobre “Muay thai: mais que uma dor gostosa, um vício!

  1. Oi Ma!
    Faço muay thai há seis meses e peguei minha graduação em julho (mesmo sendo bem indisciplinada). Quando comecei foi por insistência da minha amiga, eu já tinha feito karatê e desistido na terceira faixa, mas resolvi dar uma chance a essa arte marcial mesmo morrendo de medo de passar vergonha na frente dos outros por não fazer certo e nem aguentar a primeira série de combinações. Mas foi amor no primeiro treino, meu mestre foi muito paciente assim como todos os alunos do horário e acabei conhecendo gente nova e mudando muito meu modo de vida. No inicio eu só queria emagrecer mas descobri de vez que gosto de adrenalina e não de atividades de menininhas haha. Nos dois primeiros meses eu chegava toda quebrada em casa mas mesmo assim não desistia apesar das dores (principalmente no joelho). As vezes pensava em desistir por não conseguir fazer algum movimento mas depois me lembrava que “eu sou uma garota audaciosa, é claro que vou conseguir”. Emagreci nove quilos com os treinos, melhorei minha postura, aprendi a me controlar mais e descontar minha raiva nos tatames e fiz amigos. Agora sou mais confiante e disposta a encarar desafios e meu mestre falou que eu tenho um grande potencial. O muay thai virou meu estilo de vida e com ele aprendi muitas lições.
    Amei seu blog,
    Muay!

    • Oi, Lana!!
      Fico feliz que tenha curtido o blog e que esteja adorando muay thai!! É cativante mesmo!

      No momento estou afastada, por conta do meu ombro, mas estou contando os dias para voltar! hehehe É viciante!

      No começo também pensei em desistir, mas insisti e não me arrependo! 😉

      Vamo que vamo!

      bjsss

  2. Olá,eu li todos os seus posts sobre o muay thai,mas eu tenho uma dúvida: pode praticar com óculos ? Sei que tem chute e tudo mais,porém eu não enxergo bem sem ele,pois tenho míopia 1,75 em cada olho e se eu tirar tudo fica embaçado!

    • Então, Jessi, nunca vi ninguém treinar de óculos não…. Eles pedem até para tirar brincos, anéis, colares, pulseiras etc para evitar machucar. Acho que o óculos é bem perigoso. Eu uso óculos normalmente, mas no treino não. Minha amiga também não usa. Ela optou pela lente durante os treinos. Acho que essa pode ser uma boa sugestão pra você também, apostar na lente. bjs

  3. Pingback: Primeiros passos em direção ao vestido branco | Entre Balanças e Andanças

  4. Meu Deus vc acabou de me descrever, achei sua página na nem fazendo uma pesquisa sobre muitas e graduação, ao ler tudo o que vc escreveu me senti tão parte disse como se estivesse saindo de mim tb. Espero começar a me graduar esse ano. Já que já treino a 1ano em uma academia de musculação (BodyTech) e lá não há essa oportunidade, meu mestre me propôs fazer em outro local. Me compartilho do mesmo vício que vc, o grande de desejo de assim que acabar entrar na fila de novo e de novo porque sentir essa dor gostosa e bom de mais. Oss Tassia Araújo

    • Muay é muito bom mesmo! E se você treinar em uma academia especializada em lutas, vai sentir muita diferença da aula dada em academias normais. Se você quer aprender mais, o ideal é procurar um local especializado. Aí vai poder se graduar, como seu mestre falou! =D Oss!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s