Fascite Plantar. Como assim, doutor?!

Semana passada aproveitei o feriado aqui em Sampa e fui correr no Ibirapuera. Estava tão feliz por ter conseguido correr/caminhar por 1h30 que não me importei com a dor no meu pé, que incomodou o tempo todo, mas a ignorei.

correr

No dia seguinte, forcei mais um pouco na esteira. A dor só me deixou correr por 15 minutos. No outro dia, fui pro Muay Thai e apelei no treino que foi bastante focado em corrida, pular cones (com um pé só) etc. Resultado? Não consegui terminar a aula. Depois de 1 hora de treino desisti. =(  E fui direto pro hospital.

Diagnóstico: Fascite Plantar.

Oi??! Como assim? Pior: O médico disse que tenho que ficar 2 semanas sem fazer esforço no pé, sem caminhar muito, sem subir muitas escadas… Ou seja, academia e muay thai só nos meus sonhos. Mas como assim?! Logo eu que preciso de atividade física para não engordar maaaaaaaaais!!

Passado o susto e assimilada informação, fui pesquisar sobre o assunto para compartilhar com vocês e alertar para que vocês não acabem assim como eu! =(

O que é fascite plantar?

A fascite plantar é uma inflamação do tecido denso na sola do pé, que acontece pelo esforço excessivo da região. Esse tecido é denominado fáscia plantar, uma aponeurose (tecido que recobre a musculatura da planta do pé) que se estende do calcâneo, osso que forma o calcanhar, aos dedos. Ela ajuda a manter o arco longitudinal do pé.

A corrida e caminhada aumentam a força exercida sobre o pé, ainda mais quando a sobrecarga ultrapassa a capacidade do pé de absorver o trauma, por isso a dor. A fraqueza dos músculos, para absorver esse impacto, influencia.

A fascite plantar afeta geralmente homens ativos com idades entre 40 e 70 anos. É uma das reclamações ortopédicas mais comuns relacionadas aos pés. Pois é, eu que não me enquadro nesse perfil, adquiri o problema. =(   #VaiTerSorteAssimLaLonge

 fasceite_plantar_semtitulo

O que causa a fascite plantar?

  • Alterações na formação do arco dos pés;
  • Pisada errada;
  • Encurtamento do tendão de Aquiles e da musculatura posterior da perna; (Que foi o que o médico disse que eu tinha…..)
  • Esforço excessivo da sola do pé

Alguns fatores de risco para a fascite plantar:

  • Problemas no arco do pé (pé chato e pé cavo)
  • Obesidade ou ganho súbito de peso (Tipo assim…….. EU!)
  • Corridas de longa distância, especialmente em ladeiras ou em superfícies irregulares
  • Calçados com apoio insuficiente à curva do pé ou solas macias

Como evitar a fascite plantar:

  • Correr em terrenos macios;  (O muay thai deve ser ótimo então, já que correr no tatame é mega gostoso)
  • Fortalecimento muscular; 
  • Alongar sempre antes e depois de correr; 
  • Perda de peso excessivo;  (Meu objetivo!)
  • Palmilhas com acolchoamento do calcanhar para minimizar o estiramento da fáscia e reduzir a absorção do impacto. 

Como trata a fascite plantar:

Inicialmente, a forma de se tratar a lesão é sempre conservadora, sendo feita com antiinflamatórios e analgésicos. Também é importante fisioterapia com exercícios para alongamento da fáscia plantar e do tendão de Aquiles (tendão da perna posterior).

Além disso, é preciso suspender as atividades de corrida ou longas caminhadas para o problema não ficar ainda mais sério.

É, vou me render à bicicleta por essas duas semanas….

Referências:

Globo Esporte

Minha Vida

Anúncios

8 pensamentos sobre “Fascite Plantar. Como assim, doutor?!

  1. Que chato… Nunca ouvi falar em Fascite Plantar, é cada coisa que aparece. Boa sorte na sua recuperação!!

    Obrigada pela visitinha. Volte sempre!

  2. essa fascite plantar atinge homens ativos? ufa! to livre ahaahah

    Quando eu praticava esportes meus professoers sempre diziam que dor é sinal que algo esta errado. Só atletas profissionais devem treinar sentindo tal mal estar

    sobre seu comentário no blog:
    … mas é assim que funciona o preconceito.
    Julgar antes de conhecer. Tenho amigos que não gostam de rock, mas as qualidades deles são amenizadas se comparadas ao péssimo gosto musical

    Acho que escrevi demais, né!?

  3. Pingback: Circuito Lotus – SP: A primeira corrida a gente nunca esquece | Entre Balanças e Andanças

  4. Estou passando pelo mesmo problema, pratico patinação e o meu maior medo é não poder voltar a praticar! Rezando pra que tenha cura. Tive um diagnóstico por conversa e imagens de meus pés e muita conversa, o exame esta marcado. Poxa…;( tomara que dê certo pra você e pra mim. Abraço grande. Fica com Deus!

    • Então, linda, o meu, peguei leve nos dias seguintes. Fiquei 15 dias sem treinar. E aí fui voltando aos poucos. Quando eu corria e via que o pé começava a dar pontada, eu dava uma diminuida e passava a caminhar. Hoje continuo fazendo isso, e a dor é praticamente inexistente. Mas fico sempre alerta, se deu pontada, reduzo. Fiz até uma prova de 5km! Ó que beleza! rs

      Torço por ti e com certeza vai dar tudo certo!!!

      bjão!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s